Astral reúne nova diretoria e define prioridades para o biênio 2024/26

Reunião tratou sobre planejamento, regionalização e manutenção das estações do Digitaliza Brasil

Astral reúne nova diretoria e define prioridades para o biênio 2024/26

A Associação Brasileira das Televisões e Rádios Legislativas (ASTRAL) realizou, na última quarta-feira (28), a primeira reunião da nova diretoria, sob a presidência do jornalista Gerson de Castro. O objetivo foi alinhar os trabalhos para o biênio de 2024-2026, definir as principais linhas de atuação e traçar as estratégias para que a entidade possa enfrentar os desafios apresentados no campo da comunicação pública no âmbito do Poder Legislativo.

Entre os encaminhamentos, ficou estabelecido que haverá reunião mensal da diretoria na última segunda-feira do mês, e que as vice-presidências e diretorias vão traçar o planejamento de cada área, o que inclui o levantamento e atendimento das demandas das emissoras de cada região.

Outro tema debatido, que tem atraído a atenção de profissionais e instituições da área, é a composição do Grupo de Trabalho da TV 3.0, do Ministério das Comunicações. A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) lançou uma portaria que prevê a representação da ASTRAL no colegiado.

O engenheiro Carlos Neiva, vice-presidente de Tecnologia da Associação, foi indicado para ser o representante da entidade, tendo a responsabilidade de participar dos encontros e atualizar a ASTRAL acerca das discussões e decisões tomadas pelo Grupo.

Os debates sobre a tecnologia da TV 3.0 tem crescido nos últimos meses, pois o Ministério tem até o dia 31 de dezembro deste ano para apresentar à Presidência da República uma proposta técnica e normativa de implementação do futuro modelo de televisão no País. A TV terá uma dinâmica de funcionamento bem mais atrelada à linguagem da internet, sendo gerida pelos usuários por meio de aplicativos e já tem previsão de funcionamento para 2025.

Além disso, a reunião da ASTRAL tratou sobre a manutenção das estações transmissoras de TV instaladas pelo Programa Digitaliza Brasil. Existe a possibilidade de utilizar recursos que sobraram após a instalação da primeira fase do Digitaliza Brasil, do Ministério das Comunicações. Esses recursos, em torno de R$ 130 milhões, seriam investidos em manutenção e reparos de equipamentos. .

Após a reunião, a ASTRAL encaminhou sugestões para projeto destinando a garantir o investimento em manutenção, evitando que as estações transmissoras saiam do ar. Com a efetivação do Digitaliza Brasil, o segmento chegou a 1.627 estações transmissoras no país.

Entre outros tópicos, foi mencionado, também, o primeiro Congresso de Comunicação Pública do Sudeste, que será realizado nos dias 4 e 5 de abril em Araras-SP. A ASTRAL participa da organização e vê o evento como uma oportunidade para aprofundar o processo de regionalização da entidade. Inclusive, com esse objetivo foi criada a vice-presidência de Integração Regional, ocupada pela administradora Luciana Rivelli, da Câmara Municipal de Jundiaí-SP.

O presidente da Astral, Gerson de Castro, considerou a reunião bastante produtiva. “O nosso primeiro encontro da diretoria foi uma sinalização clara da unidade do nosso colegiado e da sintonia entre os nossos diretores. Destacamos a importância do planejamento visando aprofundar a política de regionalização da nossa entidade”, afirmou Castro. “Com a regionalização, vamos nos aproximar ainda mais das emissoras, levantar as necessidades por estados e buscar soluções conjuntas para as muitas demandas e desafios”.

Bruno Lara / ASTRAL

MAIS NOTÍCIAS
ValeVirtual Tecnologia